Animais Silvestres

Devo ter uma Animal Silvestre como Pet?

Não é uma tarefa tão difícil pensar em algum conhecido que possua algum cão ou gato em casa, às vezes nós mesmos somos tutores desses fascinantes animais em nosso lar.

Ainda nessa categoria podemos refazer o exercício de imaginar e pensar em algum conhecido que possua um animal um pouco mais inusitado, como é o caso dos animais silvestres, caso esse exercício fosse realizado na década passada iríamos encontrar mais dificuldade do que hoje.

Mas, ainda resta uma dúvida muito presente em nossa sociedade: é possível ter este tipo de animal em casa?

 A possibilidade desta relação ainda é um tabu para muitas pessoas e, por vezes, taxada como uma prática marginal à legalidade. Infelizmente a falta de conhecimento do quadro real para aquisição e manutenção de animais silvestres como Pet contribui para a sua comercialização ilegal.

Mas, vamos com calma, podemos sim, ter algumas espécies silvestres em casa, vide IN 07/2015 do IBAMA, Art. 2º I- animal de estimação ou companhia: animal proveniente de espécie da fauna silvestre nativa, nascido em criadouro comercial autorizado para tal finalidade, mantido em cativeiro domiciliar, sem finalidade de abate, de reprodução, uso científico, uso laboratorial, uso comercial ou de exposição;

Fantástico, não é?! Mas antes de sair correndo para o Google para pesquisar o criadouro mais próximo da sua casa é bom atentar para alguns detalhes muito importantes.

A criação de cães e gatos requer condição financeira, tempo, dedicação, conhecimento e muito amor, correto? Se para esses animais que convivem com a humanidade a milênios os cuidados requerem tanta atenção e perícia imagine o desafio que é o cuidado desses Pets inusitados.

Antes de adquirimos qualquer espécime silvestre devemos estudar sobre ele e elencar suas necessidades, que não são poucas, por exemplo:

  • Qual a alimentação correta para tal indivíduo?

  • Existe alguma ração específica? Qual é o hábito alimentar? É um animal que necessita de frutas em sua dieta, tenho acesso a frutas de qualidade?

  • Sei das frutas tóxicas ou que podem ser antinutricionais se fornecidas em forma e quantidade errônea?

  • Quero ter uma serpente, mas consigo ter acesso a camundongo, ratos e similares com origem confiável?

  • Saberei fornecer na periodicidade correta?

 Mas a alimentação não é e nem deve ser a única preocupação, qual a estrutura necessária para este tipo de animal, ele gosta de subir em árvores? Precisa de ambiente para voar? Espelho d’água? Lâmpadas de UVA e UVB? Qual o substrato? Cerca, tela, vidro…? Quais os riscos de fuga e acidentes? Qual o hábito do animal? É um animal muito ativo? Preciso de quanto tempo de exercício? Qual o nível de interação social? Quais equipamentos para manejo e manutenção irei precisar? Há alguma clínica veterinária especializada para atender meu tipo de animal na minha região? Vou ter condições físicas, tempo e emocionais para atender as necessidades básicas do meu companheiro?

Bom… espero que não tenha achado que foram muitas perguntas, pois é apenas o início do que deve ser feito ao pensar em ser responsável por outra vida.

Fiz todos estes questionamentos e mais alguns, estudei tudo, obtive as respostas e acho que estou pronto.

O que fazer?

O primeiro passo: montar todo o local que o animal ficará e providenciar todos os equipamentos. Após tudo providenciado, vamos atrás do nosso mais novo Pet.

Procure por criadouros comerciais autorizados e licenciados pelo IBAMA ou órgão ambiental competente do seu estado, agora pesquise sobre o histórico deste lugar, o que os clientes falam dele e dos animais provenientes de lá. Tente conhecer o modo como ele lida com os animais, seus cuidados sanitários, venda e transporte.

Certifique-se de que seu companheiro tenha vindo de um local idôneo e seguro. Se concordar e gostar das informações que obteve, mãos à obra. Compre!

Receba com muito carinho, dê atenção e além de tudo, garanta que ele terá uma ótima vida com todas as suas necessidades – por toda ela – não importa o quanto ela dure, seja uns 7 anos para os furões, 25 anos para uma ave de rapina, 40 para a jiboia, uns 60 para os papagaios e mais de 100 para os jabutis.

Se quiser saber mais sobre animais silvestres, condicionamento, e cursos relacionados, não deixe de assinar o blog, assim você terá prioridade sobre todas as novidades!


Referências

BROOM, D.M. Animal welfare: concepts and measurement. Journal of Animal Science, v.69, p.4167-4175, 1991.

CARCIOFI, A.C.; OLIVEIRA, L. D. Doenças nutricionais. s.i. Disponível em: <http://www.veterinariosnodiva.com.br/books/Doencas-Nutricionais-Silvestres.pdf>.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS – IBAMA. Instrução Normativa nº 07, de 30 de abril de 2015.

KLEIMAN, D; ALLEN, M. E.; THOMPSON, K. V.; LUMPKIN, S. Wild mammals. IN Capitivity: Principles and Tecniques. Chicago and London: University of Chicago Press, 1996.

ODUM, E. P. Fundamentos de ecologia. 4 ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 927p. 1988.