Leitura Recomendada

Dica de Livro: Cartas a Um Jovem Cientista

Sempre temos aqueles dias que queremos dar uma pausa dos estudos e ver algo diferente. Por isso resolvi te dar essa indicão de livro.

O livro do biólogo Edward O. Wilson traz as suas experiências e descobertas dentro da biologia. Conta suas histórias desde quando era jovem e já existia a paixão pelos animais, principalmente formigas e borboletas, mesmo antes de se tornar biólogo, sendo escoteiro.

Edward O. Wilson nasceu em Birmingham, Alabama, em 1929, e passou a juventude explorando as florestas e pântanos das redondezas e colecionando cobras, borboletas e formigas. Professor de Harvard há 50 anos, é considerado um dos biólogos mais proeminentes do mundo e já recebeu diversas honrarias, incluindo 2 prêmios Pulitzer.

[Pulitzer é um prêmio norte-americano, muito almejado por quem se dedica a obras nas áreas do jornalismo, literatura e música. A administração do prêmio cabe à Universidade Columbia, de Nova York, e é o mais importante e respeitado do jornalismo dos Estados Unidos e é anunciado sempre no mês de abril, e foi criado por Joseph Pulitzer em 1917.]

São 21 cartas onde ele busca mostrar e incentivar de forma clara, entusiasmada e bem-humorada novos biólogos a seguir na carreira e paixão por desvendar e entender os mistérios da vida na Terra, mesmo com todas as adversidades que possam surgir.

Somos apresentados ao seu raciocínio e métodos investigativos surpreendentes: um formigueiro serve de mote para entendermos as relações entre os seres e seus ecossistemas e uma viagem a uma floresta revela o papel do homem nas transformações da natureza, por exemplo. Ele também diz que o sucesso do  pesquisador não vem da habilidade matemática, mas sim de uma paixão para encontrar um problema e resolvê-lo.

Wilson retrata a ciência como um campo de criatividade e dedicação, seja falando do colapso de estrelas, seja da exploração tropicais ou da profundidade dos oceanos.

Abaixo trago 2 trechos que mais me chamaram atenção e achei mais impactantes. Vale muito apena a leitura que é leve e divertida.

“Quando um biólogo estuda um grupo de espécies,desde, digamos, elefantes com três espécies vivas até formigas com 14 mil espécies, ele tem tipicamente como objetivo aprender tudo que for possível sobre uma grande variedade de fenômenos biológicos. A maior parte dos pesquisadores que trabalham dessa forma, seguindo a segunda estratégia de pesquisa, é adequadamente chamada de naturalistas científicos. Eles amam os organismos que estudam.
Eles gostam de estudar as criaturas em campo, em condições naturais. Eles lhe dirão, corretamente, que exitem infinitos detalhes e infinita beleza até mesmo naquilo que as pessoas inicialmente consideram menos atraentes- fungos encontrados no lodo, por exemplo, besouros que vivem no estrume, aranhas e víboras. A alegria deles está em encontrar algo novo, e quanto mais surpreendente, melhor. Eles são ecologistas, taxonomistas e biogeógrafos. Eis um cenário que vivenciei tantas vezes:
Imagine dois biólogos caçando em uma floresta tropical, levando equipamentos pesados de coleta, com um guia de campo online esperando em um acampamento e com análise de DNA em um laboratório de onde eles saíram. “Meu Deus, o que é isso?”, diz um deles, apontando para um animal brilhante colorido, pequeno e de formato estranho
paralisado debaixo de uma folha de palmeira. “Acho que é uma rã selvagem”, responde o companheiro dele. “Não, não, espere, eu nunca vi nada igual. Deve ser algo novo.”

“Os caminhos potenciais que você pode seguir em uma carreira científica são muitos. Sua escolha pode levá-lo a um dos cenários que descrevi, ou não. O tema que serve para você, assim como no amor verdadeiro, é aquele pelo qual você se interessa e que provoca paixão e promete prazer durante uma vida de dedicação.”

Achei o livro muito interessante e divertido, além de conhecer as pesquisas feitas pelo autor ele nos mostra que devemos seguir aquilo que gostamos de fazer, mesmo fracassando algumas vezes.


Fonte:
Infoescola: http://www.infoescola.com/literatura/premio-pulitzer/

Sobre o Autor

Vanessa Araújo

Bacharel em Ciências Biologicas pela Pontificia Universidade Catolica do Rio Grande do Sul (PUCRS), durante a graduação atuei nas áreas de Biologia Vegetal, Biologia Celular e Tecidual,Histologia, Licenciamento ambiental e Manejo e cuidados de serpentes em cativeiros.
A paixão por biologia vem desde pequena, sempre gostei de ter contato com animais e a natureza e foi a primeira e única opção de graduação pensada. Escrever no Biologia para Biólogos vai aumentar ainda mais essa paixão pela Bio e criar novas oportunidades.