Botânica

Manguezal: berço de toda vida

Você já reparou se próximo a você tem manguezal? E como ele se encontra? Ele está poluído? Ham, você acha que ele “fede”! Veremos o que ele realmente é!

Já de antemão vamos falar sobre a diferenciação. Todo vez que eu disser ‘Manguezal” estarei me referindo a todo o ecossistema, se eu disser ‘Mangue’ estarei me referindo apenas às plantas desse local.  Ficou entendido? Agora você já pode me entender melhor.

Eles ocupam locais como bacias, deltas, estuários e lagoas costeiras. Formando um ambiente salobro (é quando há mistura de água salgada com a água doce), seu solo é lamacento, com muitos detritos e com pouca oxigenação. A maioria dos Estados brasileiros tem a presença de manguezais, ele percorre desde do Cabo Orange no Amapá até Laguna em Santa Catarina.

Figura 1: Distribuição do Manguezal brasileiro.

Nossa ocupa a costa do Brasil quase toda?

Isso mesmo! Mas não é tudo a mesma coisa. Aqui no Brasil nós temos 3 divisões principais para os mangues, que foram criadas de acordo com o tipo de planta determinante do local, são elas: o Mangue Vermelho, composto principalmente pela Rizophora mangue, o Mangue Preto ou Siriúba, com presença de Avicennia schaueriana e o Mangue Branco, com grande predomínio da Laguncularia racemosa. Existe ainda o Mangue de Botão, mas ele não é tão presente no nosso país.

Figura 2: Mangue Vermelho.

Fonte: Projeto Mangues Limpos.        

Figura 3: Mangue Branco.

Fonte: Projeto Mangues Limpos.                             

Figura 4: Mangue Preto.

Fonte: Projeto Mangues Limpos.

E você, sabe o porquê essas plantas não morrem com a presença de sal na água e porquê suas raízes ficam para fora do solo?

Não? Calma, eu vou te explicar agora.

Essas plantas são chamadas de halófitas pois são tolerantes a presença de sal, isso facilita para que elas possam viver nesse ambiente, tem também a presença de pneumatóforos que são raízes capazes de absorver oxigênio. Já as raízes são chamadas de escoras justamente por que ela serve de sustento para a parte de cima da planta. Como ela está em um ambiente onde o encontro de água doce e salgada é constante esse formato possibilita que as raízes balancem de acordo com a subida ou descida do nível do mar e continuem firmes.

Você Sabia: As raízes escoras, partem do caule e crescem em direção ao solo para se fixar, após a fixação ela sofre um processo de espessamento.

Isso ocorre devido as raízes escoras serem caracterizadas de acordo com o ambiente onde se encontram como raízes aéreas ou de suporte. Sendo importante para sustentar a parte superior da planta.

No entanto não são somente as plantas que vivem nesse ecossistema. Existem muitos animais no Manguezal, como por exemplo os crustáceos, as aves algumas residentes e outras migratórias, os peixes, répteis e até mamíferos. Mamíferos? Residentes? Explica isso direito?

Sim, os mamíferos que são mais encontrados são guaxinim da mão pelada e a lontra. Em alguns locais podem ser vistos capivaras, morcegos, macacos e outros. As espécies são divididas em residente que fazem todo o seu ciclo de vida no manguezal como o caranguejo-Úça, caranguejo-aratu, ostras moluscos e etc, semiresidentes fazem parte da vida (geralmente época de reprodução e desova) como os peixes e camarões e terminam o seu ciclo em outro local e os visitantes que somente passam para se abrigar ou se alimentar, não possuindo seu ciclo de vida totalmente ligado aos manguezais, como aves migratórias, garças, jacaré de papo amarelo e etc.

Você Sabia: Até os animais que estão em alto mar, dependem do manguezal para se alimentar. Como?

As suas presas deslocam-se até o manguezal para reproduzir e se abrigar (como as raízes são entrelaçadas, elas dificultam a entrada de alguns predadores, permitindo a segurança na reprodução), após esse processo, elas voltam para o alto mar onde completam o seu ciclo de vida, servindo de alimento para outros peixes e mamíferos. Isso por exemplo, ocorre com os camarões.

Alguns animais procuram os manguezais para se alimentarem, ou reproduzirem, ou se abrigarem, ou para fazer todos. Além disso, temos o ser humano que depende desses animais para sustento financeiro de suas famílias.

Segundo o Ministério do Meio Ambiente a zona marinha e costeira são as que apresentam as maiores rotas de riquezas do nosso País. Afirma também que são encontradas catalogadas cerca de 705 a 1.209 espécies de peixes, 57 de mamíferos marinhos, 53 de cetáceos (golfinhos e baleias), mais de 100 mil de aves e 5 de tartarugas (sendo o total global de 7 espécies existentes).

Mas infelizmente, esse ecossistema ainda sofre com as atividades antrópicas (causadas pelo homem) houve muitas perdas de áreas de manguezais, para a construção de moradias, industrias, portos e até escolas e faculdades. Essa expansão atualmente é o maior problema e o que provoca a maior perda de biodiversidade. Alguns animais que utilizam tal ambiente estão ameaçados de extinção, ou por caça ou pela destruição devido o desmatamento e aterro. Agora temos que fazer a nossa parte e preserva-lo.

O Manguezal é muito fantástico e tem muitas informações!

Se gostou ou ainda tem dúvidas, comente abaixo.

Inté!


Referências:

SEMADS RJ – Educar para proteger; CINTRON & SCHAEFFER-NOVELLI; Minha Vivência.

Palavras chaves: Manguezal; Berçário de espécies; Ecossistema.

ATLAS DE ECOSSISTEMAS DO ESPÍRITO SANTO. Macroformas, zonas naturais e ecossistemas: Fisiografia e solos capixabas, manguezal. Atlas de Ecossistemas do Espírito Santo. Vitória: SEMA, Viçosa: UFV, 2008.

REZENDE, C. E. et al. Ecologia e Bioquímica de Manguezal. In: PEREIRA, R. C.; SOARES-GOMES, A. Biologia marinha. ed. 2. Rio de Janeiro: Interciência, 2009, p. 361-363

NANNI, H. C.; NANNI, S. M. Preservação dos manguezais e seus reflexos. IN: XII SIMPEP, 2005.  Bauru, UNISANTOS. p. 1-12.

CORRÊA, C. A biodiversidade na Zona Costeira e Marinha do Brasil. [s.d.].

Disponível em: <http://www.mma.gov.br/informma/item/6618-a-biodiversidade-na-zona-costeira-e-marinha-do-brasilh>. Acesso em: 07 out. 2017.

Sobre o Autor

Thaís Teixeira

Sou Bióloga Bacharela e curso Ciências Biológicas Licenciatura. Escrever para o Biologia para Biólogos foi uma realização de um dos sonhos que tinha. O poder expressar, passar o conhecimento e aprender tanto com os outros escritores e com os leitores não tem preço. Espero atender e ajuda-los com os conteúdos postados. Gratidão! Inté.

2 Comentários

Clique aqui para comentar
  • Achei maravilhoso. To na graduação e apresento sexta um seminário sobre manguezal. Me ajudou bastante. Obrigada

    • Olá Karen, que bom que achou o conteúdo plausível para sua apresentação. Caso surja alguma dúvida referente ao tema de Manguezal pode me contatar que adorarei te ajudar. Bjus querida, Inté!