Diversos

O que é o amor afinal?

Para uma mãe, é seu filho. Para os namorados, sua paixão. Para os avós, sua família. Para os cães, seus donos. Mas afinal, o que é o amor para a ciência?

Todos os dias tentamos definir o que é o amor, e sempre nos deparamos com inúmeras explicações diferentes sobre ele. Acabamos por perguntar, o que é o amor, afinal?

Meu amor tem duas vidas para amar-te.
Por isso te amo quando não te amo
e por isso te amo quando te amo.

Pablo Neruda

A antropóloga e pesquisadora do comportamento humano, Helen Fisher, realizou uma pesquisa em busca do segredo do amor dentro do nosso corpo. Nela foi detectado uma área do cérebro chamada de área ventral tegmental que é responsável pela produção de dopamina, um importante estimulante.

É um sentimento que eu acho que poucas pessoas já sentiram, porque é complicado, exige muita perseverança, nunca desistir do alvo que é amado, seja uma pessoa ou uma profissão. Fora que tem as fases, nem sempre você vai estar nos melhores dias ou em momentos felizes. Quando você ama tem suas particularidades e dificuldades, mas você vai sempre optar por continuar amando aquilo independente de tudo e faz de tudo pra melhorar e quando melhora você sente que a cada dia ama mais.
Janaina Mendonça

A dopamina, o hormônio do amor, é responsável por diversas funções, entre elas: a concentração, a tomada de decisões, variações de humor e por dar energia.

Ela faz parte de um conjunto de neurotransmissores, onde temos a noradrenalina, que acelera o batimento do coração e a serotonina, que nos fixa no objeto de amor.

synapse1-244x300

Com isso, quando estamos amando, apaixonados, fixamos todos os nossos pensamentos em uma pessoa específica.

Depois de um tempo eu não sei mais responder o que é isso, amor é bem mais do que frio na barriga ou aquelas borboletas no estômago, acho que amor é doar-se, é não ver os limites que algo pode ter e sempre querer dar o seu melhor para aquilo ou para aquela pessoas que se ama.
Passei tanto tempo querendo responder isso e hoje eu não sei mais o que é. Amor é quando eu olho pra Rafa depois dela falar um monte de besteira e eu acho tudo lindo, mesmo não entendo nada kkkkk ou quando eu vejo minha mãe ficar feliz e dentro de mim uma chaminha de acende.

Analú Fonseca

É quando chegamos a segunda fase: esses hormônios estimulam produção da testosterona, “o hormônio masculino”, e o estrógeno, na mulher, aumentando o impulso sexual e a vitalidade. Isso acontece no amor intenso.

Couple

O amor romântico não é uma emoção, mas um impulso, uma necessidade fisiológica dos seres humanos.

Helen Fisher

Partimos então para a terceira fase, a de ligação. Nela temos a presença de mais dois hormônios que são liberados no ato da relação sexual: a oxitocina, o hormônio do carinho e a vasopressina, o hormônio da fidelidade.

gr_ocitocina

 

px_vasopressina

E ainda tempos a endorfina, um relaxante natural, é o hormônio responsável pela sensação de segurança. É quando as coisas se acalmam e o amor se torna leve. Essa então é a quarta fase.

Então, para biologia, o amor é: um complexo fenômeno neuro-biológico baseado em atividades cerebrais incluindo o desejo, a confiança, o prazer, a recompensa e que envolvem a ação de um número elevado de mensageiros químicos.

Para mim o amor é benigno, o amor é querer o bem do outro sem alguma razão. O amor é cuidar e dar sem pensar em algo em troca, amor é lutar até o fim, mesmo quando muitos dizem que não tem solução. Normalmente, fazemos as coisas porque gostamos mas quando se ama lutamos para fazer e nos superar ( seja trabalho, faculdade, um curso, um amigo, um namorado).
O amor que sinto pelo meu filho é único, e esse não consigo explicar.
O amor que sentimos pelos nossos pais tem um quê de gratidão.
Mas por um filho, ahhhhhh esse aí!!
Esse é tudo pra mim.

Leilany Vasconcelos

No entanto, seja como for que a biologia explique o amor, para nós, humanos, seres racionais, o amor irá sempre ser um mistério para quem sente e algo lindo para quem ver.

No fundo o que importa mesmo é que ele seja vivido.

Amem-se!

Sobre o Autor

Beatriz Morais

Beatriz Morais é graduanda em Ciências Biológicas, Diretora do Blog Biologia para Biólogos, Organizadora do CONABio (Congresso Online Nacional de Biologia) e empreendedora digital. À frente do 1º CONABio, Beatriz reuniu 21 grandes expoentes da Biologia em âmbito nacional para palestrar no primeiro congresso online do Brasil direcionado para a carreira do(a) Biólogo(a). Apaixonada desde cedo pela biologia, sentiu uma grande necessidade de ação em prol da carreira do biólogo após entrar na universidade e foi ai que tudo começou. Buscou se informar com os maiores especialistas de cada área, artigos, livros, vídeos, tudo o que podia ajudar a conquistar seu objetivo: mostrar aos biólogos, estudantes e formados, oportunidades de carreira na biologia onde apenas você é responsável pelo seu resultado.