Biologia Marinha

O que são Recifes de Corais?

Ouvimos muito falar sobre Recifes de Corais e a importância da sua conservação. Mas, o que são esses Recifes de Corais?

Se você já foi a alguma praia no Brasil você provavelmente já esbarrou em alguma estrutura coralínea.

 bio-editada-1-biologia-para-biólogos-corais

Praia de Gaibú, Pernambuco.

Essa foto é da praia de Gaibú, no estado de Pernambuco. Se você já foi a uma praia e viu essas formações, fique sabendo, você viu Recifes de Corais.

Os recifes de corais são formações de estrutura rochosa, resistente aos choques mecânicos das ondas e correntes marítimas, ele é formado de corais e outros organismos marinhos – animal de vegetal – que a possuem esqueleto calcário.

coral-petreo

Coral-pétrea.

CAMERA DIGITAL OLYMPUS

Coral-de-Fogo

Entre as formações de corais temos os corais-pétreos ou verdadeiros e os corais-de-fogo, algas  calcárias e demais organismos marinhos. Os corais são os únicos entre as comunidades marinhas que são constituídos completamente de inúmeros agrupamentos de esqueletos, formando essa grande estrutura, ou seja, milhares de organismos vivendo em simbiose.

Porém, eles não se formam do nada. Condições ambientais são essenciais para a formação dos corais, alguns exemplos são: temperatura da água, PH, correntes marítimas, profundidade e sedimentação.

cabo_frio_rj-biologia-para-biologos-corais

Praia de Cabo Frio, Rio de Janeiro.

Corais encontrados nas prais de Búzios e Cabo Frio, no estado do Rio de Janeiro, são o que chamamos de concentrações de organismos recifais, ou seja, corais não verdadeiros.

Por que?

Nessas praias a estrutura não é completamente biológica. Na verdade é um conjunto de organismos fixados em pedras ou rochas que se desenvolvem nesse ambiente. Criando assim um ambiente similar aos corais verdadeiros.

No Brasil os corais podem ser encontrados em toda região equatorial/tropical, somando aproximadamente 2.400 km de extensão, que sai do norte do Maranhão até Cabo Frio. São águas rasas e quentes, ambientes ideais para sua formação. Algumas espécies de corais também podem ser encontradas no estado de Santa Catarina.

Parece grande? E é mesmo! Não só de extensão mas também de diversidade. Infelizmente hoje tivemos grandes perdas devido à poluição e a dinamitação dessas estruturas para produção de cal, fortes e construções urbanas.

grande-barreira-de-corais-da-australia-biologia-para-biologos

Grande barreira de corais, Austrália.

Se comparado a outras áreas coralíneas, como as do Caribe e da Austrália, o Brasil é pobre em diversidade. Tendo apenas 16 espécies de corais-pétreos e corais-de-fogo, distribuídas em 10 gêneros e oito famílias. E vale ressaltar que considerando todos os corais (corais-pétreos, corais-de-fogo, corais negros e octocorais), 46 espécies, 46% são exclusivos do Brasil, ou seja, 26 espécies.

Principais fontes: Projeto Coral Vivo e Ministério do Meio Ambiente.

Quer saber mais sobre corais? Fica de olho em todos os posts!

Sobre o Autor

Beatriz Morais

Beatriz Morais é graduanda em Ciências Biológicas, Diretora do Blog Biologia para Biólogos, Organizadora do CONABio (Congresso Online Nacional de Biologia) e empreendedora digital. À frente do 1º CONABio, Beatriz reuniu 21 grandes expoentes da Biologia em âmbito nacional para palestrar no primeiro congresso online do Brasil direcionado para a carreira do(a) Biólogo(a). Apaixonada desde cedo pela biologia, sentiu uma grande necessidade de ação em prol da carreira do biólogo após entrar na universidade e foi ai que tudo começou. Buscou se informar com os maiores especialistas de cada área, artigos, livros, vídeos, tudo o que podia ajudar a conquistar seu objetivo: mostrar aos biólogos, estudantes e formados, oportunidades de carreira na biologia onde apenas você é responsável pelo seu resultado.