Congressos

Tudo o que rolou no IV Workshop de Evolução e Diversidade da Universidade Federal do ABC

Mais uma edição desse evento maneiro, que trouxe uma bate papo enriquecedor com professores de diferentes universidades, as novas descobertas da área e dicas de carreira, tudo conferido bem de pertinho pelo Biologia para Biólogos.

O Brasil é um país de proporções continentais: uma área de 8.516.000 km², que abrange mais da metade da América do Sul e que possui diferentes zonas climáticas que vão desde equatorial ao Norte até temperada ao Sul. Essas variações climáticas fizeram com que diferentes zonas biogeográficas se estabelecessem, com características únicas de fitofisionomia, solo, altitude como a incrível Floresta Amazônica, considerada a maior Floresta Tropical do mundo; Cerrado, a savana brasileira; Caatinga, bioma exclusivamente brasileiro com suas árvores esbranquiçadas; o Pantanal, maior planície inundável; Mata Atlântica, Floresta Tropical Pluvial que se distribui em praticamente toda a região litorânea e; os Pampas, campos sulinos, isso sem contar a costa marinha que possui cerca de 3,5 milhões de km² de extensão abrigando vastas áreas de recifes de corais, manguezais, estuários, lagoas, pântanos e dunas. Essa variedade de ecossistemas reflete a enorme riqueza em fauna e flora, sendo o Brasil detentor de 20% das espécies do planeta.

Em 2005 pesquisadores estimaram que o Brasil abrigava entre 170 mil a 210 mil das espécies conhecidas, cerca de 10% da biota mundial estudada, contudo esses mesmos autores projetaram que o número total de espécies brasileiras gira em torno de 1,8 milhão. Tamanha diversidade apenas reforça o fato de que é necessário criar políticas públicas de conservação, investindo-se mais em pesquisas sobre biologia, história natural e interações ecológicas procurando a síntese entre o holismo e o reducionismo sendo fundamental, neste ponto, uma abordagem interdisciplinar.

Durante o IV Workshop de Evolução e Diversidade promovido pela Universidade Federal do ABC (UFABC) em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) durante os dias 2 e 3 de outubro foi abordado a possibilidade de consórcio entre as universidades, propiciando o intercâmbio de alunos e professores entre os Programas de Pós Graduação das instituições, visando a interação e compartilhamento de conhecimentos, em vista de que os dois programas possuem estruturas curriculares semelhantes.

Alunos de mestrado e doutorado puderam apresentar seus trabalhos durante o evento. Pesquisas como a distribuição e diversidade genética de queixadas em áreas fragmentadas, bancos de rodolitos e sua relação com a biodiversidade do ecossistema e análise de fosséis de anuros para determinar filogenia e paleoambiente enfatizaram o quão é importante conhecer os organismos e suas interações ecológicas para que

assim então planos de conservação sejam desenvolvidos e aplicados mais eficazmente. Docentes de ambas universidades também puderam expor seus trabalhos e convidar alunos a conhecer e participar de grupos de pesquisa. Durante todos os trabalhos, foi unânime entre discentes e docentes a necessidade de profissionais especializados em taxonomia então, se você tem dúvidas de qual área seguir está aí uma grande dica.

Eventos como esse são sempre importantes porque além de ficar por dentro das novas descobertas, é possível fazer contatos com professores e alunos possibilitando assim conhecer diferentes linhas de pesquisa e quem sabe fazer parte delas. Confira logo abaixo o link dos Programas de Pós-Graduação das universidades participantes do evento e de grupos de pesquisa. Entre em contato com o responsável e bora pro mundo da ciência.

Pós Graduação em Evolução e Diversidade da UFABC

Pós Graduação em Ecologia e Evolução da UNIFESP

Grupo de Pesquisa em Conservação e Restauração da Biodiversidade e de Serviços Ecossistêmicos em Ambientes Terrestres e Aquáticos (CNPq).


Referências:

BRASIL. Biodiversidade brasileira. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/biodiversidade/biodiversidade-brasileira>. Acesso em 01 de outubro de 2017.

JOLY, C.A., et al. Diagnóstico da pesquisa em biodiversidade no Brasil. Revista USP [online]. 2011, n.89, pp. 114-133. Disponível em: <http://rusp.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-99892011000200009&lng=pt>. Acesso em 01 de outubro de 2017.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO. Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Evolução. Disponível em: <http://www.ecologiaevolucao-unifesp.com.br/>. Data de acesso: 04 outubro de 2017.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. 4° Workshop de Evolução e Diversidade. Disponível em: <https://sites.google.com/view/workshop-evd-ufabc/p%C3%A1gina-inicial>. Acesso em 01 de outubro de 2017.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Programa de Pós-Graduação em Evolução e Diversidade. Disponível em: <http://propg.ufabc.edu.br/evodiv/>. Data de acesso: 04 outubro de 2017.

Sobre o Autor

Ariadne Silva

Uma breve descrição: Formada em Ciências Biológicas (Licenciatura e Bacharelado) pela Universidade Metodista de São Paulo. Fazer parte da equipe do “Biologia para Biólogos” me concede a oportunidade de aprender cada vez mais, aprimorar conhecimentos, divulgar a ciência de uma forma mais dinâmica, atuando como uma mediadora e assim ajudar os que já se encontram formados, os que ainda o que ainda estão a caminho e os simpatizantes dessa área incrível que é a Biologia.

Comentar

Clique aqui para comentar